Campanha Botasangue

Publicado em 13/04/2018


Campanha Botasangue

Banco de Sangue Santa Teresa conta com o apoio do campeão carioca para elevar estoques de sangue

Torcida de Petrópolis do Botafogo, que se sagrou campeão carioca no último final de semana, apoia a 12ª edição da Botasangue, ação que começará nesta sexta-feira, 13 de abril e seguirá até o dia 30.

Em sua 12ª edição no Banco de Sangue Santa Teresa, de Petrópolis, a campanha Botasangue deve movimentar a unidade com torcedores do Botafogo, time que se sagrou campeão carioca no último final de semana. A ação, que começará nesta sexta-feira, 13, e seguirá até o 30 de abril, homenageará os primeiros doadores que se identificarem como voluntários da campanha com copos exclusivos e colecionáveis do Botafogo, que contêm o slogan “Torcedor, seja você uma estrela solidária – Quem doa, brilha”.
De acordo com o captador Rodrigo Moreira, o momento de festa para os torcedores, que acabaram de comemorar mais um título, deve repercutir também no Banco de Sangue. “Nosso objetivo é transformar a alegria dos botafoguenses em vidas salvas e, em bolsas de sangue, que farão, com certeza, a diferença na vida de centenas de pessoas”, explica. O público apaixonado pelo time carioca, que apoiou e fez a diferença para a equipe nos jogos do campeonato estadual, deve ser personagem principal para salvar dezenas de vidas.
Isso porque, sem nenhum substituto artificial, o precioso líquido que circula pelas veias de todo ser humano só pode ser substituído, em caso de doenças, tratamentos ou cirurgias, pelo próprio sangue humano. É por isso que a doação é tão importante. Infelizmente, nem todas as pessoas despertam para essa ação, o que faz com que, muitas vezes, falte sangue nos estoques. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), somente 1,8% da população brasileira entre 16 e 69 anos doa sangue, quando o ideal seria uma taxa variável entre 3% e 5%.
A grande expectativa do Banco de Sangue Santa Teresa é de que o número de doações aumente e que mais pessoas se tornem doadoras frequentes, ou seja, que doem a cada três meses, no caso de homens, ou a cada quatro meses, no caso das mulheres, independentemente de ter algum amigo ou parente precisando de transfusão.
O Banco de Sangue Santa Teresa é responsável por realizar, em média, 650 transfusões por mês e precisa de 80 doações por dia para atender a esta demanda com segurança. O sangue coletado ajuda a salvar vidas de pacientes tanto do SUS quanto da rede particular. São pessoas atendidas em prontos-socorros e nos hospitais Santa Teresa e Unimed, além de pacientes encaminhados pelas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), que dependem dessas doações todos os dias.

Veja como é fácil doar
Os interessados precisam pesar mais de 50 quilos e estar em boas condições de saúde. Não é necessário fazer jejum, mas é preciso esperar 3 horas após o almoço ou a ingestão de alimentos gordurosos. No local, basta apresentar um documento oficial com foto e ter entre 16 e 69 anos (menores de idade precisam de autorização e estar acompanhados por um responsável). O voluntário não pode ter ingerido bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação. Quem tiver feito tatuagem recentemente precisa aguardar seis meses após o procedimento. Quem colocou piercing, pode doar após 03 dias, exceto se for na língua ou região genital. Nesse caso a doação está liberada um ano após retirada. Quem fez endoscopia deverá aguardar 6 meses após a realização do procedimento. Quem toma algum medicamento deve entrar em contato antes com o Banco de Sangue para confirmar se impede a doação temporariamente ou definitivamente e, quem tomou a vacina contra a febre amarela, só pode doar após 30 dias.

Outras notícias